quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Dinheiro do Céu por Marcos Rey

22255

Ano de edição: 2005

Número de páginas: 140

Gênero: Romance juvenil


Dani, um adolescente de 16 anos, tem uma família incrível: o tio Salvador, um amigo para todas as horas, o Don Francesco, fascinado pela Itália, além da Teresa, do Fúlvio, do Roberto... Eles vivem no ano de 1964, quando as primeiras músicas de rock chegaram no Brasil e a minissaia começou a ter sucesso, e também ocorreu um golpe militar no Brasil. Dani vive a embaraçosa fase da vida em que surge a experiência do primeiro amor - nem sempre correspondido -, a busca do primeiro emprego, que pode resultar numa profissão do futuro; e a expectativa de receber uma herança, o dinheiro que caiu do céu, que deve chegar a qualquer momento com o seu avô que juntou todas as economias e foi buscá-lo na Itália.

Já havia lido outros livros de Marcos Rey antes, assim como "O Hotel 5 Estrelas" e também "12 Horas de Terror", livros que, na minha opinião, são de um suspense ótimo. Infelizmente "Dinheiro do Céu" não me deixou tão motivado quanto os outros. Já lido livros de Marcos Rey - apenas de suspense - escolhi começar a ler este para ter a mesma sensação dos outros, mas "Dinheiro do Céu" não se trata de suspense e sim de um romance juvenil.

Quando começamos a ler o livro é bem interessante. Achamos que há alguma coisa por trás da viajem de Don Francesco, mas não é realmente isso. O livro começa a ficar um pouco chato logo depois de um tempo. Acho que o começo é a melhor parte do livro.

Os personagens dessa história são nada mais que legais, acho eu. Danilo (prefiro Dani), o protagonista, e o seu tio Salvador estão entre os meus favoritos. Gostei do jeito de Salvador, sempre disposto em ajudar seu sobrinho, tanto em coisas em relação a trabalho quanto a de romances. Dani é um garoto simpático e educado que gosta de ler, ele é bem apegado ao bom tio que tem.

O livro aborda vários assuntos. Romance, política, revolução e até o nervosismo com a escolha de um cargo para vida. O livro é bem realístico com o que acontece hoje em dia - mesmo passando-se na década de 1964. É difícil lembrar que a história não acontece na data atual porque muitas coisas continuam da mesma maneira. Há apenas alguns traços diferentes dos dias-de-hoje: os namoros eram mais formais, sem muitas trocas de beijos e carinho quanto hoje e, é claro, todas as revoluções que se passava na época.

Preferia que o livro fosse mais longo. Fiquei com aquele típico "e aí? O que vem depois?", porque o livro termina num determinado momento em que não devia terminado, entendem? É muito fácil ler as 140 páginas da história porque, além de poucas páginas, o livro apresenta capítulos bem curtos, e quem não gosta?

5 comentários:

  1. Oi Vinicios, parabéns pela resenha! Acho que não li nada do Marcos Rey, mas agora vou procurar saber mais sobre suas publicações! Adorei suas impressões do livro, é verdade que as vezes terminamos a leitura com a esperança de que ela poderia ter sido um pouco mais longa e revelado mais! Nem sempre é assim, mas isso também abre espaço para imaginar e ponderar sobre o que poderia ter acontecido!! hehe

    até mais!!


    Prólogo da Leitura

    ResponderExcluir
  2. Olá, Vinicios!
    Adorei a sinopse do livro. Mas não é um dos livros que eu gosto de ler... Se, um dia, eu encontrá-lo, vou ler.

    Beijos,
    Emily Swan
    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Quando vejo o nome desse autor me lembro da minha infância li muitos livros dele, todos os que você comentou eu já li não lembro de detalhes faz anos e anos que li mas na época eu gostei e me lembro com carinho dos livros

    bjos e parabéns pela resenha, pena que não gostou tanto

    bjos

    ResponderExcluir
  4. também li esse livro a um tempo atrás e gostei da história, apesar de achar que o autor tem livros melhores... fiz uma resenha também do livro, se quiser visitar, o endereço é http://livrosefilmeseusoufa.blogspot.com.br/2011/06/dinheiro-do-ceu-marcos-rey.html

    ResponderExcluir
  5. Eu li esse livro mas não lembro da história. Por outro lado me marcou muito a história do Roberto que tinha um Mercedes de procedência misteriosa. Até hoje eu quero ser ele e fingir que sou rico. Livro de péssima influência hahaha

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :I :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Pode comentar a vontade! Diga se gostou da postagem,
se ela te trouxe alguma inspiração ou coisa parecida!
Sempre irei responder os seus comentários!
O Um Jovem Leitor agradece.
Abraço a todos!
Vini.